Arquivos do Blog

O Facebook “ostentou” na compra do Whatsapp?

Tudo indica que o Facebook não pagou demais ao comprar o Whatsapp recentemente. O gráfico preparado pela startup Brightside fez uma interessante comparação entre o custo por usuário em dezenas de aquisições ocorridas nos últimos anos pelos três gigantes das plataformas digitais: Yahoo, Google e Facebook. Confira:custo por usuario whatsapp

 

Evento apresenta estratégicas para anúncios sociais

O Social Ads Summit, evento que acontecerá em 10 de maio, na Faculdade Casper Líbero (SP), promete trazer bastante informações para os profissionais da área. Entre as palestras, temas como “Facebook: Um grande aliado para captação de leads qualificados” e “Twitter: como anunciar em 140 caracteres com bons resultados?” comporão o primeiro evento brasileiro totalmente focado em anúncios para mídias sociais. Entre os palestrantes, profissionais de agências como AD.Dialeto, dp6, AdResults e DM9DDB.

social ads

As interfaces entre anúncios sociais e monitoramento de mídias sociais são múltiplas. Além das conversações sobre uma marca serem indicadores também da efetividade dos anúncios que visam awareness e engajamento, o monitoramento de mídias sociais pode ser fonte para a criação de anúncios. Gírias, léxico, piadas e referências do público podem ser percebidas nas mídias sociais e retornarem como anúncios que “falam a língua do consumidor”. Além disso, o direcionamento dos anúncios também pode ser otimizado, uma vez que públicos segmentados podem ser construídos a partir da identificação dos segmentos de público consumidor.

App de loja de Cingapura sugere produtos de acordo com seu signo

Aplicativo bem humorado e lúdico da IKEA Cingapura apresenta produtos da famosa loja de móveis a partir do seu signo. O Zodíaco chinês, que tem signos como coelho, cavalo, tigre e dragão, foi a fonte de ideias e tipos de produtos para cada “personalidade”.

Para o signo de coelho, por exemplo, o aplicativo oferece objetos confortáveis: “Ideas to plush up your home so you can hop straight back into a space that’s as soft and cuddly as you, everyday” (algo como “Ideias para acolchoar sua casa para que você possa pular de volta para um espaço tão fofo e confortável quanto você, todos os dias”).

Confira através do link na imagem abaixo:

rabbit

Via PSFK

Twitter concorre de perto com o Facebook no Setor Público

Para comunicadores do Setor Público no Brasil, o Twitter é uma mídia social quase tão importante quanto o Facebook. 78% utilizam o Facebook contra 76% de utilizadores do Twitter, segundo pesquisa recém-lançada pela FSB Pesquisa. O estudo foi composto a partir de entrevistas com gestores de 120 instituições privadas e públicas.

twitter - setor públicoO documento também aponta o crescimento da comunicação em redes sociais como uma das atividades prioritárias.

Infográfico: Quanto tempo você gasta na redes sociais!?

time-on-social-media

Quanto do seu tempo você “gasta” na web!? 18% segundo o infográfico abaixo. Desde de 2006 o tempo gasto pelas pessoas nas redes sociais mais que duplicou, foi de 2,7 horas para 6,9. Os dados são tem como base os EUA. De qualquer maneira, isso se repente ao redor do globo. O ranking por tempo tem Facebook reinando em primeiro, seguido por Tumblr, Pinterest, Twitter, LinkedIn e Google+. Confira abaixo.

time-on-social-media - Cópia

Fonte: Mashable

Timehop, te ajuda relembrar o passado

Com todo o volume de informações, check-ins, fotos, tweets e etc² que recebemos e enviamos todos os dias, fica difícil consegui lembrar tudo o fizemos há um ano (às vezes um dia já é o suficiente). Já falamos aqui sobre dois sites que enviavam diariamente um e.mail para o usuário cadastrado mostrando o que ele fez há um ano, isso era apenas para o Foursquare e Instragam. Bom, os sites se fundiram, ganharam mais redes e um novo nome, Timehop.

As redes incorporadas ao serviço são, Facebook, Twitter, Foursquare, Instagram e Flickr. O esquema não mudou, você continua sendo recebendo diariamente suas atualizações de um ano, dois ou mais anos trás, mas somente daquele dia. Você pode acompanhar tudo por e.mail ou pelo APP disponível apenas para iPhone. Para os saudosistas e esquecidos (rs) de plantão, esse é um prato cheio. Mais infos aqui. ;)

Facebook muda visualização da fotos

Mais uma mudança na visualização das fotos está por vir. O novo álbum trará algumas fotos maiores que as outras – algo meio Mondrian – e você poderá optar por qual delas dar destaque clicando num botão de forma de estrela. Segundo o Facebook a intenção é reunir todas suas fotos e compartilhar os melhores momentos com seus amigos.

Constantes mudanças no Facebook, é algo bem comum e com relação as fotos não seria nenhuma novidade, já a rede comprou recentemente o Instagram e vem disputando esse tipo de serviço com outras redes, como o Pinterest, que aliás, se este (foto) for realmente o novo visual, o que também ainda não foi confirmado, lembrará muito a design dos boards dela.

fonte: mashable

Social Media é coisa para profissionais. Não para sobrinhos.

Há quem defenda (e pense) que trabalhar com Social Media é uma tarefa bem simples, mas tudo é bem mais complexo do que aparenta ser. Marcelo Sant’Iago, em texto publicado na edição de julho da revista ProXXIma, fala sobre o assunto, cujo o título da nome ao post, confira.

*Por Marcelo Sant´Iago

“Isso mostra que você não entende nada de social media e nem de Facebook” me disse outro dia uma pessoa, após eu comentar que determinado artigo era uma das maiores bobagens que li nos últimos tempos.

Não. Não, entendo mesmo.

O fato de eu ter algumas centenas de amigos no Facebook, o mesmo volume de contatos no LinkedIn e pouco mais de mil seguidores no Twitter, não me faz um especialista no assunto. Assim como o fato do Tarcísio Meira ter feito dezenas de novelas não o faz um especialista em televisão.

Eu sou apenas uma pessoa que usa bastante as redes sociais para fins pessoais e profissionais. Não me julgo, não pretendo, nem nunca disse que sou um especialista no assunto.

Mas isso não me impede de emitir uma opinião, baseada em meus mais de 20 anos de carreira em publicidade, 16 deles na publicidade online: o mercado de social media no Brasil precisa mais do que nunca de profissionais e não de sobrinhos.

Sim, sobrinhos, este personagem que assola o mercado de internet desde os seus primórdios.

“Precisamos fazer um site!”

“Chefe, tenho um sobrinho que é bom nessa coisa de internet”.

Lembrou?

“Nosso site não aparece no Google!”

“Chefe, tenho um sobrinho que é bom nessa coisa de internet”.

Conhece esse?

“Precisamos de uma página no Facebook e de um perfil no Twitter!”

“Chefe, tenho…”

Entra ano, sai ano e os sobrinhos continuam por aí, assombrando as empresas.

Sobrinho, caia na real: o fato de você ter entre 18 a 25 anos e ter muitos amigos no Facebook e Twitter, não te faz um especialista em redes sociais. Muito menos um consultor.

Aliás, quem tem de cair na real são as empresas que, em sua maioria, ainda estão contratando sobrinhos, netos, primos e similares para cuidar de sua imagem e comunicação nestes ambientes. Quando na verdade, elas deveriam estar buscando profissionais de comunicação, publicidade, relações públicas e afins.

Durante alguns meses tive entre meus clientes uma empresa norte-americana da área de social media. Ela recentemente foi vendida por estimados 300 milhões de dólares a uma grande corporação. O serviço que eles prestam é algo que as empresas brasileiras com mais fãs no Facebook e seguidores no Twitter ainda não adotou. Aqui só se fala em comprar campanhas no Facebook e acompanhar o que estão dizendo sobre você no Twitter. Mas a gestão do conteúdo ainda é feita de forma manual, arcaica e sem uniformidade na estratégia, o que proporcionaria métricas mais eficientes.

Poucas semanas depois deste meu cliente ter sido vendido, seu maior concorrente foi adquirido por outra empresa por 689 milhões de dólares. Ambas transações saíram no AdAge, no Business Insider e em diversos sites especializados, tanto de publicidade como de tecnologia. Mas nem uma linha em nossos grandes veículos.

Enquanto o brasileiro ainda se preocupa em oferecer desconto pra conseguir mais fãs no Facebook e seguidores no Twitter, as empresas norte-americanas falam de engajamento e construção de marca.

Por aqui, o gerenciamento ainda é feito de forma manual, site a site; nos EUA a estratégia é pensar todas as redes sociais de forma coordenada e com a garantia de que o acesso ao conteúdo será perfeito via qualquer plataforma.

No Brasil, a presença das empresas em redes sociais ainda é vista como novidade e os veículos do tradecolaboram, ao noticiar que tal empresa agora tem página no Facebook (desde quando isso é notícia?). Nos EUA, as empresas já pensam em ROI, pois presença nas redes sociais é obrigatória e deixou de ser novidade faz tempo.

Enquanto lá eles usam uma plataforma para o gerenciamento eficiente, aqui a maioria ainda usa sobrinhos.

Biz Stone disse em um evento: “Eu criei o Twitter, mas não sou especialista em social media”.

E você aí se achando, né Sobrinho?

*Marcelo Sant’Iago é sócio da MBreak Comunicação, especialista em mídia interativa e presta assessoria a empresas interessadas em expandir seus negócios no meio online. (texto publicado na revista ProXXIma de julho/12)

 

 

 

Timeline para fanpages no Facebook

Desde 30 de março todas as fanpages passaram usar a timeline do Facebook e o layout das páginas sofreram uma mudança e tanto e com isso a criatividade veio a tona, principalmente no uso da capa (ou cover). A capa fica na parte superior do perfil/fanpage, ocupando o lugar antes das 5 pequenas imagens do layout anterior. Bom o uso dela é fácil, basta selecionar um imagem e aplicar. Porém, navegando por algumas fanpages notei que muitas, usam a capa divulgando produtos, chamando a galera pra curtir e por aí vai. O problema é que há algumas regras para o uso da capa, estabelecidas pelo próprio (Mark) Facebook, válidas para usuários e também para as marcas. Confira abaixo o que não pode.

- Preço ou informações de compra, como “40% de desconto” ou “Faça o download no nosso site”.

- Informações de contato, como endereço do site, e-mail, endereço de correspondência ou informações que devem ser incluídas na seção “Sobre” da Página

- Referências a elementos da interface do usuário, como Curtir ou Compartilhar ou qualquer outro recurso do site do Facebook.

- Chamadas para ação, como “Compre já” ou “Informe seus amigos”.

- Todas as imagens de capa são públicas, o que significa que qualquer pessoa que acessar sua Página poderá ver a imagem que você escolher. Capas não devem ser falsas, enganosa e não devem violar a propriedade intelectual de terceiros. Você não pode encorajar ou incentivar pessoas a carregarem sua imagem de capa em suas linhas do tempo pessoais.

Caso alguma das regras não seja levada em consideração, usuário/marca pode ser punido, como já vimos alguns relatos web afora. Você pode conferir mais informações aqui e aqui você encontra algumas dicas legais, com medidas e exemplos criativos para se inspirar.

Instagram: do zero a 1 Bilhão

O aplicativo para fotos mais hipter dos últimos tempos, O Instagram, até então exclusivo apenas para usuários do clube Iphone, conseguiu seu 1 bilhão, mas de dólares, com a venda para o Facebook. A anúncio ocorreu dias depois do app ter ganho sua versão para usuários do sistema Android (já baixou o seu?). A Visually criou o infográfico abaixo, mostrando a trajetória do Zero a 1 Bilhão!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 30 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: